Blog | Entenda o que é a Supply Chain 4.0

09 de junho de 2020

Recentemente, em nossa publicação sobre os desafios da logística empresarial, mencionamos a Supply Chain 4.0 como uma “nova era” para o setor logístico. A fim de aprofundar um pouco mais nesse período da indústria que contempla tantas mudanças internas e externas, bem como processos comunicativos completamente novos e integrados, é que preparamos a publicação de hoje. Já começamos falando o seguinte: a indústria 4.0 já existe no mundo inteiro, e colocou em prática conceitos integrados de novas ondas de tecnologia e comunicação, como a IoT, a robótica avançada, analytics e big data. Essa tecnologia, da qual já dispomos em massa, cresceu de forma exponencial e trouxe melhorias para o desempenho do mercado, e isso, é claro, influenciou também o mercado logístico e de suprimentos, que vêm adotando o Supply Chain 4.0 nos últimos anos. Mas aí, resta a pergunta: o que é esse processo, realmente?

Primeiro, entenda o que é uma “supply chain”

A supply chain surge da Supply Chain Management (SCM), que se traduz do inglês em “Gestão da Cadeia de Suprimentos”. Ou seja, supply chain e cadeia de suprimentos são a mesma coisa. O conceito surge em meados dos anos 60, tendo cases de sucesso como a Walmart e mais tarde, a Amazon, ambas líderes do mercado mundial que sempre investiram em eficiência de produção. A SCM nada mais é do que o gerenciamento de todos os processos envolvidos durante a fabricação de um produto ou serviço, visando gerar valor para o cliente e interessados. Para controlar a chegada da matéria-prima à expedição e entrega do produto final ao cliente, a SCM estabelece um padrão de práticas e orientações às marcas, referente à gestão do fluxo de valor.

Com os anos, a SCM passou por processos de aprimoramento e desenvolveu melhores indicadores de desempenho. Dessas práticas, surgiu o SCOR (Supply Chain Operations Reference), um modelo de referência das operações na cadeia logística, utilizado para analisar uma cadeia e identificar oportunidades de melhorias no fluxo de trabalho e de informação. O SCOR busca representar, analisar e configurar cadeias por meio de processos. Foi um modelo pioneiro na criação das etapas estruturas visando a otimização das atividades nas empresas.

Tornando-se parâmetro para qualquer cadeia logística de valor, o conceito defende a utilização de modelos de referência no alinhamento entre diversas áreas do fluxo. Esses modelos costumam contemplar conhecimentos sobre reengenharia de processos, benchmarking, estrutura referencial e análise das melhores práticas. Esses indicadores, trabalhando sobre os tipos, categorias e decomposição dos processos.

Agora sim, afinal, o que é Supply Chain 4.0?

Rotinas mecanizadas já são uma realidade para as empresas, especialmente na indústria. Nesse sentido, a cadeia de suprimentos tradicional, apesar de apresentar um alto grau de eficiência e automação, ainda não dialoga completamente com as demandas tecnológicas mais recentes, isto é, com os padrões 4.0. Essa migração do tradicional ao inovador, vem como um dos reflexos da transformação digital e da chamada "quarta revolução industrial". A cadeia de suprimentos 4.0 é fortemente influenciada pela ciência de dados, e pela interoperabilidade dos agentes que a compõem. Ela opera com apoio na Internet das Coisas (IoT), Inteligência Artificial (AI), computação em nuvem, Machine Learning, dentre outros componentes do universo digital. Esses conceitos e métodos modernos viabilizam, hoje, a composição de extensas cadeias de suprimentos, capazes de englobar agentes de diferentes características, de forma personalizada e otimizada.

Impactos positivos da Supply Chain 4.0

Um estudo da McKinsey, empresa americana de consultoria empresarial, revelou que o número de empresas que se dedicam a aprimorar seu sistema de supply chain ainda é relativamente baixo, mesmo que a digitalização da cadeia de suprimentos represente um aumento de 3,2% nos rendimentos anuais. Pensando nessa performance, listamos alguns dos impactos positivos da SC 4.0 para as organizações.

Automação de processos

Com a adesão de tecnologias como a Internet das Coisas, AI e machine learning, é possível automatizar uma série de etapas importantes da cadeia de suprimentos, tais como:

- Análise de indicadores de estoque e vendas;

- Controle de entrada e saída de itens;

- Integração com soluções utilizadas em outros setores do mercado;

- Facilidade de planejamento e reposição de itens.

Flexibilidade

As rotinas exibem, com certa frequência, imprevistos referentes à demanda e à oferta. Com o suporte tecnológico devido, é possível fazer um planejamento, em tempo real, e em ciclos simplificados, capazes de assistir aos pedidos e cenários diversos. Além de permitir que as organizações repassem às empresas de gestão de serviços determinadas funções da cadeia de suprimentos.

Execuções mais ágeis

As tecnologias de automação e controle possibilitam grandes mudanças dentro da cadeia de suprimentos, uma delas, uma tremenda mão na roda: muito mais agilidade para realização dos processos internos. Separar, recolocar, e realizar a recepção de itens no estoque, por exemplo, pode ser feita de forma muito mais prática e rápida, graças aos softwares destinados a esse fim. O sistema aponta, de forma automatizada, o melhor local para automação, algo que demoraria bem mais caso fosse feita a análise de forma manual.

Controle e precisão

Transparência sobre os processos, com acesso às informações sobre indicadores (KPIs), nível geral do serviços, e até dados detalhados dos processos. Além disso, graças à IoT e soluções de inteligência artificial, é possível observar de que forma ocorrem os processos da cadeira de suprimentos, e se eles estão, de fato, sendo produtivos e eficientes, ou mesmo se há gargalos atrapalhando a produtividade.

Maior eficiência

Automação de atividades manuais e auxílio no planejamento estratégico. Na SC 4.0, a eficiência na cadeia de suprimentos é aprimorada. Na era digital, máquinas inteligentes auxiliam no deslocamento e organização de materiais como grandes caixas, tonéis, artigos e paletes. Assim, automatiza o processo de armazenamento durante toda a linha do tempo: chegada, estocagem, seleção, embalagem e expedição. 

Quais os principais desafios da Supply Chain 4.0?

Como a cadeia de suprimentos 4.0 contempla atividades diversas, além de enfrentar grande competitividade e adaptações exigidas pelo mercado, é natural que surjam desafios para a sua implementação. São características oriundas da Indústria 4.0, que devem ser bem observadas, consideradas e adaptadas à realidade diante da adesão. Listamos:

- Conciliar a dicotomia entre o foco em flexibilidade ou em custo, já que isso envolve um maior gasto inicial;

- Lidar com um maior volume de dados;

- Ter profissionais capacitados para trabalharem neste novo cenário;

- Atualizar o maquinário para implementar as soluções tecnológicas;

- Saber customizar a produção.

A supply chain para a Renaux Service

Os nossos serviços de suporte logístico são realizados de acordo com as tendências da indústria. Entendendo a necessidade de adaptação à indústria 4.0, dispomos de soluções que contemplam a logística interna, a nível parcial ou integral, de forma otimizada e eficiente, contando com a utilização de aparelhagem e softwares que se nivelam ao mercado. Para compreender melhor as nossas soluções referentes à logística, visite a nossa página de soluções e compreenda as atividades que podem nos ser delegadas.

Além disso, o nosso blog é ativo e atualizado semanalmente, trazendo bastante conteúdo sobre a logística e gestão de serviços no geral. Visite o nosso blog com regularidade e nos siga nas redes sociais, para não perder os nossos conteúdos. É tudo gratuito e autoral!

Siga-nos no LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/renauxservice

Mais textos sobre Logística

Os principais desafios da logística empresarial

5 vantagens da Movimentação Interna no segmento industrial

Voltar