Blog | Frente à pandemia, prestadoras de serviço têm papel fundamental

13 de abril de 2020

Não há outro assunto. Ao ligar a TV, o rádio, ao abrir as redes sociais, sabemos o que encontraremos em comum. A COVID-19, doença causada pelo novo coronavírus, tem assustado o mundo inteiro e nos obrigado a adotar diferentes hábitos para as nossas vidas. Virou rotina ouvir e ler alertas sobre a importância da higienização dos espaços e objetos pessoais e de uso coletivo, o isolamento social e também o distanciamento social. Entretanto, ao mesmo tempo em que essas mudanças podem representar, para alguns, uma adaptação mais lenta, ou ainda um período ocioso, para outros, ela significa uma intensificação nas rotinas de trabalho e a constante busca por respostas, pelas melhores ações ou qualquer conduta que venha a colaborar positivamente com a prevenção e diminuição dos casos da doença no país, que agora já passam a marca dos 12 mil.

Falamos de quem está na linha de frente, e que em períodos de crise, como agora, tornam mais do que clara a sua essencialidade. Os serviços essenciais, como os de alimentação, transporte e, sobretudo, saúde – que envolve não apenas assistência médica e hospitalar, mas também práticas sanitárias –, são algumas das atividades consideradas indispensáveis ao atendimento das necessidades da população. Para que o isolamento funcione, os profissionais dessas áreas precisam ir trabalhar todos os dias, garantindo que haja assistência às suas comunidades. Qualquer desfalque nesses setores é capaz de condicionar um efeito dominó, pois o mundo não funciona sem comida, transporte ou condições sanitárias básicas, e menos ainda quando em grandes proporções. Essa responsabilidade infla o sentido de coletivo, que já é aguçado em períodos onde a solidariedade e o reconhecimento se fazem mais fortes. Logo, só ressalta a importância cível dessas atividades e seus profissionais.

A Renaux Service entende dessa responsabilidade, pois boa parte dos nossos serviços são considerados de essencialidade. Cientistas e pesquisadores desdobram-se para encontrar respostas no cerne do problema, já os comunicólogos, articulam-se sob o grande fluxo de informações, mas e nós, que prestamos serviços também essenciais, como atuamos? Nossa empresa é especializada em Gestão de Facilities, uma das áreas sob maior demanda nesse período. Isso acontece pois é justamente nos facilities que encontramos a prestação dos serviços de limpeza, bem como os de manutenção e conservação, alguns dos marcadores de prevenção ao coronavírus, tratando-se de medidas sanitárias. A gestão dos facilities está presente no controle de público em um estabelecimento, na desinfecção dos espaços públicos ou na higienização de objetos. Isso significa que somos, também, protagonistas nesse plano de combate.

 

Outro dos nossos serviços que passa por um período de adaptação das métricas de higiene, além de lidar com uma demanda triplicada, é a Logística Indoor; essa tendência do segmento logístico passa agora por desafios múltiplos. O novo coronavírus mexeu com a forma como todos os produtos chegam ao seu destino. Além dos procedimentos de expedição e recebimento, como também os pré-expedição (carga e descarga, armazenagem, embalagem e etiquetagem, por exemplo) necessitarem de uma rotina muito mais rígida de limpeza – lembrando que a sobrevida do novo vírus na superfície de objetos ainda está sob pesquisa –, o número de serviços que aderiram ao modelo delivery para conseguir sobreviver economicamente é imenso, ou seja, gerando uma sobrecarga naqueles que se responsabilizam por trilhar o caminho do produto ao cliente. O mesmo ainda podemos dizer sobre a Manutenção Predial, que dialoga bastante com os facilities, e afeta diretamente a vida de parte da sociedade civil que, mesmo em casa, ainda precisa tomar precauções.

Até a semana passada, o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, ainda estava, em rede nacional, instruindo a população sobre a lavagem correta das mãos, a higienização simples de objetos pessoais e mesmo o uso de máscaras de proteção. Ou seja, o conceito de assepsia é para muitos algo ainda quebrado, negligenciado, e em situações de desestabilização social como a que enfrentamos agora, é que percebemos a necessidade dos profissionais da atenção sanitária no combate à propagação de doenças. Imagine agora, a diferença que pode fazer ter uma prestadora de serviços que não apenas especializa-se em facilities, como repassa a todos os seus colaboradores e setores, as boas práticas de saúde e conduta diante da pandemia.

Aos profissionais que saem de suas casas diariamente, apesar do medo, dos riscos e da preocupação com seus amigos e familiares, deixamos o nosso parabéns e a nossa solidariedade. No que é cabível e possível, a Renaux auxiliará com as orientações e com os EPIs necessários para a diminuição dos riscos e a prática digna de trabalho. Por fim, também, o nosso “muito obrigado!”. 

Voltar