Blog | Recrutamento e Seleção: sua empresa tem apostado na metodologia adequada?

31 de março de 2020

A estrutura da mão de obra colaborativa é um dos principais capitais de uma empresa, ou mesmo o mais fundamental. É através da composição dela que vem o sucesso de uma organização, assim como a construção da sua imagem diante de um mercado ou segmento. O setor de Recursos Humanos de uma empresa, como sugere o próprio nome, é o responsável por selecionar, qualificar e administrar esse capital: os colaboradores. O nome desse processo dá-se em Recrutamento e Seleção. É preciso, logo, compreender as necessidades da empresa, para poder perfilar a vaga e encontrar um profissional que se adeque aos requisitos. O Recrutamento e Seleção, que também chamaremos de R&S em alguns momentos desta publicação, é um dos subsistemas do setor de RH, e se encarrega de trazer os novos talentos, além de cuidar dos já existentes. Passada essa introdução, vamos conhecer mais a fundo algumas características desse processo, sua importância e a aplicação dele dentro das empresas.

O que é R&S e qual a importância para as empresas?

O processo de Recrutamento e Seleção, em conjunto, é o método de admissão de novos talentos, adotado pelo departamento de Recursos Humanos de qualquer empresa. Decerto, é um dos processos mais importantes de qualquer organização, e envolve diferentes técnicas, metodologias e etapas, estas que devem estar de acordo com o perfil, porte, interesse e clima da empresa, sempre em perfeita sincronia e funcionalidade. O R&S surge para tornar o olhar do departamento de RH mais estratégico, e tem sofrido mudanças, adaptações e melhorias, conforme o nosso mercado avança e exige novas habilidades. Com o formato que temos hoje, fica mais claro que recrutar bem é fundamental para construir uma empresa de confiança e destaque no mercado. Dentro dessas mudanças, podemos citar a inovação tecnológica e as novas diretrizes de inclusão social, que permitiram uma maior chance de ingresso aos PCDs, por exemplo, ou aos grupos minoritários, que uma vez na história não possuíram tantas oportunidades como hoje. 

Mas o que seriam, não em conjunto, Recrutamento e Seleção? O recrutamento pode ser definido como a procura por candidatos-perfil, ou seja, candidatos cuja experiência, ao lado do conhecimento e habilidades de exceção, sejam esperadas pela empresa. É o processo de colheita. O objetivo é captar candidatos suficiente para ter maior probabilidade de contratação. Já a seleção serve como uma peneira de tudo o que foi colhido, ela é o filtro. De forma justa e equitativa, como se espera da conduta de um RH, o candidato que melhor se adeque será selecionado, e então as etapas serão concluídas ou caminharão para uma finalização, a depender do processo. Esse processo seletivo pode incluir várias ferramentas e estratégias, como vídeos, provas orais e escritas, dinâmicas, quizzes e, claro, entrevistas.

O R&S está longe de ter as suas metodologias completamente ignoradas pelas empresas, mas ainda há muitos departamentos de RH e mesmo gestores que não reconhecem a importância da boa aplicação desse processo. O bom processo de R&S está completamente inserido no conceito de RH estratégico, que diz respeito ao desempenho do setor dentro de uma empresa, e é capaz de identificar com maior precisão o diferencial competitivo. A prática, quando bem feita, pode significar redução de custos para a empresa, fortalecimento estratégico e da cultura organizacional, além de evitar desligamentos e períodos de instabilidade para as equipes.

Como saber se a sua empresa tem apostado na estratégia adequada?

A tecnologia e os anos de estudo, graças à presença do R&S nas empresas desde a ascensão capital e industrial, permitem às empresas uma gama bem justa de métodos para seleções mais precisas, criativas e mais capazes de compreender o potencial do candidato. A sua empresa anda planejando-se para os processos de admissão, os gestores participam juntos da definição dos métodos de recrutamento e seleção, existe uma visão geral e própria da provisão de vagas; mas os resultados ainda são ruins? Então, muito provavelmente, a sua estratégia não atende ou compreende as necessidades do perfil da organização.

Isso aponta falhas diretas na atuação dos gestores e do RH, o que pode significar um peso nos cofres também. Existem formas de perceber que o desempenho anda sucateado, como através das demissões, ou mesmo do crescimento interno dos colaboradores. Dificuldades de crescimento nos setores, engasgos na comunicação entre gestores e equipe, ou mesmo entre a própria equipe, podem mostrar que na seleção algum detalhe foi ignorado, e ele acabou pesando na colaboração futura, seja a curto ou longo prazo. Se a sua empresa anda mostrando esses sinais, chegou o momento de investigar novos métodos. E ainda que os resultados sejam positivos, nunca é demais considerar inovação e mudanças. 

Como executar o processo de R&S corretamente?

Com toda a certeza não existe uma forma que garanta o sucesso unânime de todas as empresas, mas existem sim cuidados básicos e fundamentais na organização do processo, para que se consiga captar e escolher com precisão. O segredo é ter uma equipe capaz de enxergar esse potencial de adaptabilidade dos métodos, e que, sobretudo, conheça a própria empresa e o que melhor se aplica à ela. Vejamos algumas das etapas que NÃO devem faltar para um processo bem feito e com bons resultados

Mapeie a probabilidade de expansão da empresa

Se a empresa anda crescendo, conquistando novos clientes, abrindo filiais… Então, é claro que, não somente para ter uma melhor visão das vagas ofertadas, é preciso que os gestores possuam um plano panorâmico de expansão. E a partir desse plano, as equipes podem se preparar para receber novos colaboradores. Faz parte de todo projeto de expansão a admissão de novos talentos. Com isso mapeado, sua empresa pode prospectar as vagas com maior exatidão, e isso ajuda também o financeiro a se organizar para estas contratações. Antecipe-se!

Planeje e conheça as vagas ofertadas

Antes de iniciar o processo de R&S, prepare a empresa para o reposicionamento que está por vir. Devem pesquisar juntos, os gestores e o RH, as melhores práticas de seleção para determinadas vagas, os perfis tendência, os diferenciais competitivos, dentre outros detalhes. O RH não deve nunca ignorar a avaliação comportamental, e pensar na equipe já existente e na compatibilidade que deve existir durante a acolhida. 

Defina a metodologia de R&S adequada à sua empresa

O RH deve ser estratégico, e o departamento escalado na sua empresa precisa saber disso. Existem estratégias que conseguem sucesso em todas as empresas, por unanimidade, mas não existe um conjunto de estratégias que funcione como receita para todas as organizações. Essa parte é dever da sua equipe e depende da boa comunicação entre elas. 

Avalie os resultados

O trabalho do setor de Recursos Humanos com a metodologia de R&S não se encerra quando o candidato é selecionado. Uma seleção que é abandonada após o início da sua execução, tem chances baixas de crescimento, adaptação ou mesmo de permanência na empresa. Analisar e avaliar os resultados depois da ocupação do cargo é crucial. Mesmo porque, é missão do RH compreender que o colaborador está lá para contribuir, mas também para aprender e ter chance de crescimento interno, não só quanto à própria posição na empresa, mas também quanto ao conhecimento adquirido.

Então, quais as estratégias mais utilizadas?

São as mais conhecidas, às vezes até tradicionais, mas que garantem resultados mais precisos e já são considerados de confiança. Algumas delas são:

– A entrevista, ótima para avaliar diversas habilidades ao mesmo tempo: oralidade e expressão corporal, desempenho em grupo, postura, perfil comportamental e psicológico, além da cordialidade;

– Dinâmicas, que permitem avaliar a percepção, o raciocínio lógico, o trabalho em equipe e a agilidade;

– Quizzes e testes de conhecimento, que avaliam a ponte entre a formação do candidato e a capacidade de assimilação e aplicação do conhecimento, além de trabalhar administração do tempo;

– Análise comportamental, como as que investigam os tipos de personalidade, que ajudam a nivelar os perfis e a compreender como a personalidade dos candidatos podem estar conectadas às características esperadas para a função;

– Testes psicológicos, que muitas vezes são subestimados pelos candidatos, ajudam a mensurar o autocontrole, o raciocínio lógico e abstrato, além da inteligência. Ele também permite identificar a existência de traumas e/ou transtornos mentais, que podem ou não influenciar o desempenho das atividades ou colidir com a atmosfera de trabalho;

– Empresas de terceirização, que através da relação contratual, conhecem, identificam e montam relatórios de identidade da sua empresa, assumindo a responsabilidade de tomar conta desses processos escalados ao RH, com muita autoridade e profissionalismo.

Benefícios de terceirizar a metodologia de R&S

A terceirização, que domina diversos segmentos de mercado, assim como departamentos dentro das empresas, não agiu de forma diferenciada com as soluções do RH: já é muitíssimo utilizada por empresas que sentem a necessidade de melhora nos processos de contratação, e querem garantir as admissões sob um melhor custo-benefício. Listamos para você, de forma clara e resumida, alguns dos benefícios de passar essa bola para quem entende do assunto e permitir que os seus gestores e equipe possam focar no negócio:

– Em primeiro lugar, a oportunidade de um serviço especializado e que conhecerá a fundo as necessidades da sua empresa. Montar um perfil de identidade da sua empresa, que trabalhará em cima dos valores e da missão da mesma, permite que não haja ruídos durante o recrutamento, tampouco na seleção, e que os candidatos sejam mesmo a cara da organização. Não tenha receio, o fato de uma outra empresa cuidar dessas obrigações, não significa que as novas entradas serão completamente incompatíveis com a cultura interna; pelo contrário, as chances de acerto serão ainda maiores.

– Segundamente, a redução de custos. Ela pode acontecer de duas formas: através da diminuição de custos com processos seletivos, já que a empresa parceira estará cuidando disso para você, ou através da não obrigação com os encargos trabalhistas, já que todo os gastos se concentram na mensalidade acertada com a agência, e esta é quem lida com os encargos atribuídos aos seus profissionais.

– Além dos dois atrativos acima, algo que interessa muito às equipes e aos gestores: redução de burocracia. Como o RH não decide sozinho as estratégias de R&S, o período de seleção, o reposicionamento, dentre outras consequências do período de admissões, até se chegar em um consenso entre as equipes pode demorar um pouco, e o próprio processo seletivo toma tempo de trabalho. Deixe na mão de um especialista e faça o que já gostaria de estar focado em fazer.

O que a Renaux Service pode fazer pela sua empresa

Recrutamos e selecionamos capital humano operacional, administrativo e para funções de liderança. Nossa equipe de DH atua em conjunto com o cliente para entender as necessidades da posição em aberto e o perfil do profissional desejado.

Munidos destas informações, uma busca é feita em nosso banco de dados para encontrar os candidatos mais qualificados, já entrevistados e analisados previamente. Também consideramos currículos de profissionais recebidos através de nosso website, instituições parceiras, network e hunting.

Nossos gestores trabalham de forma integrada formando um colegiado para definir os candidatos mais adequados, garantindo uma escolha segura para nossos clientes.

Na última fase do processo, oferecemos o company-in, uma rodada de entrevistas em nosso administrativa, onde o cliente poderá conhecer e entrevistar apenas os candidatos finalistas.

Voltar