Blog | Entenda os indicadores OEE, OOE e TEEP

23 de setembro de 2020

Tempos atrás, apresentamos aqui no blog o conceito dos indicadores de desempenho, os KPIs (Key Performance Indicators), para dar uma boa noção aos nossos leitores de como essas ferramentas podem ajudar a gerir os ativos de uma empresa ou indústria, através da manutenção industrial. 

Hoje, vamos discutir a eficácia geral do equipamento, mais popularmente conhecida como OEE, sigla para o inglês “overall equipment effectiveness”, a métrica de manufatura mais comumente usada para entender, medir e melhorar o desempenho atual. 

O OEE é medido combinando o desempenho, a disponibilidade e a qualidade de uma máquina. Desta forma, o OEE ajuda você a identificar perdas potenciais e entender onde seu processo está falhando. Mas o OEE sozinho é apenas o primeiro passo para compreender totalmente o seu desempenho.

Para entendermos melhor, vamos também explorar duas outras medidas importantes e relacionadas para ajudar a completar sua estratégia de melhoria contínua: Eficácia Geral das Operações (OOE) e Desempenho Efetivo Total do Equipamento (TEEP).

O principal diferenciador entre essas três métricas está em como você define a Disponibilidade. Em sua essência, o objetivo de cada uma dessas métricas é determinar quanto produto bom foi feito versus quanto poderia ter sido feito. Decidir qual métrica usar depende realmente do período de tempo considerado. Para ilustrar melhor isso, vamos pensar sobre a produção de um ano em seu chão de fábrica. Sua produção deve ser baseada em 365 dias e 24 horas por dia? Ou talvez você deva olhar apenas para os horários em que tinha um turno agendado? Ou talvez você só queira ver os turnos programados do horário em que realmente correu? Claramente, existem diferentes maneiras de pensar sobre sua disponibilidade e isso requer diferentes métricas para lidar com cada período de tempo.

Novamente, a principal diferença entre OEE, OOE e TEEP é o tempo ou disponibilidade que é usado em cada cálculo.

Em outras palavras, a única variável de mudança entre esses três cálculos é o tempo máximo que você define como disponível para uma máquina funcionar. OEE, OOE e TEEP levam em consideração a disponibilidade, o desempenho e a qualidade. Aqui está uma visão mais detalhada dos cálculos para OOE e TEEP:

O Desempenho Efetivo Total do Equipamento (TEEP) considera o tempo máximo como Todo o Tempo Disponível - ou seja, 24 horas, 365 dias por ano.

Portanto, TEEP = Desempenho x Qualidade x Disponibilidade (onde Disponibilidade = Tempo real de produção / Todo o tempo).

A Eficácia Geral das Operações (OOE) leva em consideração o tempo não programado, considerando o Tempo Total de Operações como o máximo.

Desempenho x Qualidade x Disponibilidade (onde Disponibilidade = Tempo real de produção / Tempo operacional)

A eficácia geral do equipamento (OEE) considera apenas o tempo programado. Se uma máquina estiver desligada devido à manutenção e não estiver programada para funcionar, o OEE ignora este momento.

Desempenho x Qualidade x Disponibilidade (onde Disponibilidade = Tempo Real de Produção / Tempo Programado)

Por exemplo, sua empresa está tentando determinar se precisa ou não de adquirir novos equipamentos para atender às suas demandas de produção. Primeiro, você precisa confirmar se realmente precisa da capacidade adicional. Dependendo de como você define o tempo, precisa identificar quanto espaço há para aumentar a capacidade, a fim de decidir se deve se concentrar em obter mais dos equipamentos atuais ou comprar novos equipamentos. ATEEP mostra quanto potencial você tem para aumentar a produção com seu equipamento atual. Em muitos casos, recuperar a produção potencial é uma alternativa mais rápida e menos cara para comprar novos equipamentos.

A importância de compreender OEE, OOE e TEEP é essencial para que você possa prever, planejar e programar a produção com precisão. Independentemente de quais sejam os números, se eles forem consistentes, agora você pode, com um alto grau de precisão, programar o que pode fabricar para seus clientes. Depois de entender essas medidas, você pode começar a olhar para cada uma das categorias de perda, velocidade, qualidade, operacional e planejada, e usar a ferramenta de confiabilidade adequada para reduzir as perdas.

Se tem interesse em saber mais sobre esse tipo de assunto, então não deixe de conferir as nossas publicações anteriores. Há muito conteúdo disponível acerca da gestão de ativos e manutenção. Para te ajudar, deixamos algumas indicações:

Mais em Manutenção Industrial: ‘Indicadores da Manutenção Industrial: qual a importância e como calcular?’

Mais em Gestão de Ativos: ‘Traçando um programa de manutenção preventiva em 6 passos

Chegamos ao fim desta publicação, mas seguiremos trazendo conteúdo especializado para você

No nosso blog, você encontra atualizações semanais dos mais diversos assuntos ligados à gestão de serviços, o que inclui a manutenção e gestão de ativos! Não esqueça de nos acompanhar por aqui, para não perder nossos conteúdos. Lembrando que ambos os serviços são ofertados por nós e são também de nossa especialidade.

Deseja que o sua empresa seja mais aconchegante e segura? Converse com um atendente da Renaux! Na nossa aba Contato’, temos um breve formulário, e após preenchê-lo, um de nossos atendentes irá lhe retornar o mais breve possível. Basta preencher com nome, e-mail e telefone; é bem rapidinho.

Até a próxima publicação!

Voltar