Blog | Traçando um programa de manutenção preventiva em 6 passos

21 de setembro de 2020

O que exige um programa de manutenção preventiva? Um programa de manutenção preventiva eficaz requer planejamento e programação cuidadosos da manutenção de um ativo antes de uma pane real. Além disso, exige o rastreamento de dados relacionados a inspeções e manutenções anteriores. Mas sempre vale a pena o investimento. Um bom programa oferece:

— Custos Reduzidos;

— Probabilidade reduzida de falha;

— Produtividade aumentada.

Olhando para a definição na Wikipedia, podemos ver que as pessoas costumam usar as iniciais MP (ou PM, no inglês) como uma forma mais curta da frase completa.

“A manutenção preventiva (MP) é uma rotina de inspeções periódicas, com o objetivo de perceber pequenos problemas e consertá-los antes que os maiores se desenvolvam. O ideal é que nada para de funcionar, seja em capital humano, ou em capital mecânico."

Calma, ainda não entendeu? Acabou ficando confuso sobre os tipos de manutenção? Calma!

Como de costume, temos leituras recomendadas, indicadas para leitura anterior ou complementar ao artigo que acompanhamos agora. Se deseja entender através de uma argumentação comparativa, visite a publicação Manutenção Preventiva VS. Reativa: entenda prós e contras. Caso prefira terminar este artigo aqui, e depois entender como utilizar as dicas para cortar custos, leia o Como empresas poupam custos com programas de manutenção?. Tudo pronto? Vamos lá!

Como faço para iniciar a manutenção preventiva?

Embora a decisão de finalmente implementar uma manutenção preventiva seja a primeira etapa para gerenciar melhor a manutenção, a próxima e mais importante etapa é implementar seu programa de manutenção preventiva com eficácia.

É crucial lembrar que a eficácia ocorre de forma mais otimizada quando 80% ou mais atividades de manutenção podem ser planejadas e programadas com pelo menos uma semana de antecedência. Este é o objetivo: uma divisão 80/20 entre manutenção planejada e não planejada.

Um sistema de gerenciamento de manutenção computadorizado (CMMS) torna mais fácil atingir esse objetivo, permitindo que você agende a manutenção preventiva com alguns cliques do mouse. Algumas etapas importantes a serem executadas, garantindo a eficácia de um programa de PM são:

— Reúna as informações existentes;

— Compilar o histórico do equipamento;

— Determine os requisitos de MP, como inspeções, verificações de rotina e outros;

— Priorizar equipamentos críticos;

— Crie uma folha de descrição de tarefa;

— Configure uma frequência para realizar um MP.

Quais são as etapas para estabelecer o programa de manutenção preventiva perfeito?

1. Crie um plano de manutenção preventiva

Antes de qualquer procedimento de manutenção preventiva ser implementado, é importante primeiro estabelecer quem estará envolvido no projeto de manutenção preventiva. Dependendo do tamanho da empresa, as escolhas prováveis podem incluir gerentes de manutenção, técnicos de manutenção e / ou pessoas dos departamentos de contabilidade ou finanças.

Além disso, é fundamental que os membros da equipe estejam totalmente investidos no desenvolvimento do programa para que a implementação da manutenção do MP possa ser bem-sucedida.

Um aspecto final da criação de um plano de manutenção preventiva é determinar uma meta para o projeto.

Exemplos de objetivos do projeto de manutenção MP são: reduzir os custos de manutenção reativa ou corretiva em X% ou diminuir o tempo de inatividade do equipamento em X%.

2. Ativos e equipamentos no inventário

O aspecto mais demorado de configurar um programa de manutenção preventiva envolve passar por uma instalação e criar um inventário de todos os equipamentos relevantes. Embora seja um exercício demorado, é crítico, pois garante que verificações preventivas sejam feitas rotineiramente nos principais equipamentos operacionais.

Como parte desta tarefa, é importante anotar a marca / modelo do equipamento, números de série, especificações, números de identificação de ativos e localizações fixas.

Por fim, documentar a condição atual do equipamento pode ajudar a priorizar sua importância como parte de um programa de manutenção preventiva.

3. Crie procedimentos de manutenção preventiva

Depois de feita uma lista de equipamentos, a próxima etapa é determinar as tarefas ou trabalhos necessários para manter cada peça do equipamento, bem como a frequência com que essas tarefas devem ocorrer (ou seja, semanal, mensal, trimestral, semestral, anualmente).

Pode haver momentos em que a manutenção preventiva é mais adequada para ser programada em torno do horário de funcionamento, enquanto para outros ativos, outros acionadores baseados em medidor são mais apropriados.

Seja qual for o caso, é importante anotar esses diferentes cenários de programação enquanto também estimar quanto tempo pode ser necessário para realizar a PM com o software de ordem de serviço.

A maioria dos programas de manutenção preventiva acomoda programações com base em horas de tempo de execução, mas ter conhecimento prévio de quantas vezes isso pode ocorrer ajudará no processo de programação de uma empresa.

Os procedimentos de manutenção preventiva podem ser determinados com base em experiências anteriores de manutenção corretiva ou consultando os manuais do proprietário e as recomendações do fabricante e os padrões da indústria documentados.

Uma parte importante da criação de uma lista de verificação de manutenção preventiva é fazer uma lista de ferramentas e recursos internos e externos necessários para concluir cada trabalho. Em resumo, um plano de manutenção preventiva deve incluir o seguinte: uma lista de peças, procedimentos operacionais padrão (POPs), procedimentos de segurança / bloqueio e tempo estimado para concluir as tarefas de MP.

4. Crie programações de manutenção preventiva

Ao criar uma programação de manutenção preventiva, é importante fazer uma lista de itens de alta prioridade; estes serão os pontos de partida.

Os programas de manutenção preventiva demoram para serem criados e é melhor programar a manutenção de prioridade mais alta antes de sobrecarregar a equipe com tarefas de prioridade inferior. As metas iniciais de manutenção preventiva estabelecidas irão direcionar quais ativos devem ser priorizados.

Por exemplo, é importante identificar qual equipamento é mais caro para uma empresa em relação a reparos, tempo de inatividade e valor para as operações.

Uma vez que os itens de alta prioridade tenham sido identificados, é recomendado começar programando as tarefas de manutenção preventiva com intervalos mais longos primeiro (ou seja, anual, semestral, trimestral).

Equipamentos que requerem manutenção preventiva em intervalos mais longos geralmente requerem mais tempo e recursos e, por isso, a programação pode ser melhor durante períodos específicos durante o ano (ou seja, desligamento da planta, no início da estação de aquecimento / resfriamento.)

Assim que a manutenção preventiva de alta prioridade de longo prazo for concluída, o agendamento de tarefas com intervalos mais curtos e ciclos mais frequentes e itens de baixa prioridade deve seguir.

5. Treine sua equipe de manutenção

Embora o desenvolvimento de um programa de manutenção preventiva leve tempo, a implementação adequada do CMMS e a adoção do programa são cruciais.

É essencial que as empresas priorizem o treinamento de sua equipe de manutenção, uma vez que são os principais usuários do sistema.

Ter funcionários treinados para usar um programa é um fator determinante para os resultados bem-sucedidos. Não diminua o treinamento. Ter uma equipe que adote o software, o adote e o use garantirá o maior ROI (Retorno sobre Investimento). 

6. Analisar – ajustar – melhorar

As empresas são dinâmicas, assim como seus ativos de equipamentos. Por isso, é sempre importante analisar os resultados de um programa de manutenção preventiva e ajustá-lo ou aprimorá-lo conforme necessário.

Os programas de manutenção preventiva ajudam as empresas a identificar equipamentos que exigem mais tempo e dinheiro do que outros, levando a ajustes no procedimento / cronograma de manutenção preventiva.

As empresas geralmente procuram a ajuda de consultores ou especialistas em implementação de CMMS para avaliar e ajustar programas de manutenção preventiva. Não é uma má ideia avaliar e ajustar seu plano de PM a cada dois anos. Sem dúvida, desenvolver e implementar um programa de manutenção preventiva leva tempo e energia.

No entanto, uma vez instalado e com equipe treinada para usá-lo, os benefícios da manutenção preventiva automatizada superam em muito os custos associados à manutenção reativa ou de emergência que geralmente resulta em tempo de inatividade imprevisto, substituição de equipamento e interrupção da operação.

Chegamos ao fim desta publicação, mas seguiremos trazendo conteúdo especializado para você

No nosso blog, você encontra atualizações semanais dos mais diversos assuntos ligados à gestão de serviços, o que inclui a manutenção e gestão de ativos! Não esqueça de nos acompanhar por aqui, para não perder nossos conteúdos. Lembrando que ambos os serviços são ofertados por nós e são também de nossa especialidade.

Deseja que o sua empresa seja mais aconchegante e segura? Converse com um atendente da Renaux! Na nossa aba Contato’, temos um breve formulário, e após preenchê-lo, um de nossos atendentes irá lhe retornar o mais breve possível. Basta preencher com nome, e-mail e telefone; é bem rapidinho.

Até a próxima publicação!

Voltar